21 de abril de 2010

Como se formam os raios dos vulcões?

Até que esse vulcão islandês (como não lembra o nome? É o Eyjafjallajoekul!) entrasse em erupção, eu nunca tinha ouvido falar em raios vulcânicos. Mas como vocês podem ver nessas fotos, eles existem e são espetaculares. Mas o que causa esses raios? A fúria de Hefestos? Bem, essa é uma teoria, mas infelizmente não é a mais aceita. Os cientistas ainda debatem sobre a formação de raios na atmosfera (fúria de Zeus?), imagina os que se formam na boca dos vulcões ativos.

O que a maioria dos cientistas e pesquisadores concordam é que o processo tem início quando as partículas se separam, seja após uma colisão ou quando partículas maiores se partem. Então, alguma diferença de aerodinâmica entre essas partículas faz com que as que possuem carga positiva se afastem das negativamente carregadas. Quando a separação da carga é tão alta que supera a resistência do ar, a eletricidade flui entre as partículas. Os raios são este fluxo de eletricidade. Já foram registrados raios vulcânicos de cerca de 3,5 km de comprimento.


Idealizado seqüência de eventos que leva a um raio

1. A partir do Estado (partículas já pode ter sido carregada por algum processo anterior).

2. Colisões levar à separação da carga. Para que isso aconteça tem de haver alguma diferença nas propriedades elétricas das partículas nas colisões.

3. Alguns processos, como a separação aerodinâmica, segrega o positivamente e partículas carregadas negativamente. Isto significa que existem camadas da nuvem que são mais positivos do que negativos, ou outras secções.

4. Quando a carga da separação se torna muito grande, a eletricidade fluirá entre as regiões positivo e negativo da nuvem formam raios e neutralizar a separação de cargas.


Este raio pode ser o produto da atividade tempestade suja semelhante à encontrada em trovoadas convencional.

A erupção vulcânica em si é incapaz de gerar carga elétrica suficiente para acender relâmpagos por muito tempo após a erupção ocorre ou longe da cratera, segundo os pesquisadores.

Pelo contrário, os cientistas acreditam que as cargas elétricas são geradas quando fragmentos de rochas, cinzas e partículas de gelo na nuvem colidem para produzir cargas estáticas em muito a mesma maneira que as partículas de gelo colidem para criar cargo de trovoadas regular.

"À medida que a nuvem começou a ir na direção do vento, que parecia ter uma vida própria e produziu cerca de 300 mais ou menos normal [raios]", da Universidade de Florida Uman disse.

"A implicação é que ele produziu mais carga do que começou. Caso contrário, [o] pluma não podia continuar a fazer um raio."

As erupções vulcânicas liberam quantidades significativas de água, que pode ajudar a alimentar essas tempestades sujo.

"A maior parte da literatura trata vulcão relâmpago vulcânico como um animal diferente de relâmpagos nuvem natural", Uman disse.

Mas, observou ele, pelo menos, um tipo de relâmpago vulcânico parece ser "nem tudo o que muito diferente do que o relâmpago convencional [em] uma tempestade."
Postar um comentário
Copyright © 2010 Revista Virtual All rights reserved.
Wp Theme by RaphaelAlves. Blogger Template by Ph