8 de janeiro de 2010

Frio polar castiga Reino Unido, Estados Unidos e outros países

Temperatura nos EUA pode chegar a - 50º C

Lareiras acesas, chocolate quente na mão e cobertores sobre o corpo. É assim que americanos e britânicos devem passar esta sexta-feira. O Reino Unido sofreu uma abrupta queda de temperatura nesta madrugada e os termômetros chegaram a registrar 22,6º C negativos, se aproximando do frio no Pólo Sul, que conta com 22,9º C negativos. Mas o recorde desta sexta-feira pode ser dos EUA.

A nova frente fria do Ártico deve levar temperaturas de até 50º C negativos nos EUA. O frio preocupa os especialistas, já que se com essa temperatura tudo em volta vira gelo, o efeito do frio sobre uma pessoa pode ser devastador.

Na Índia, a onda de frio também vem gerando caos pelo 60º dia consecutivo. O número de mortos subiu para 195 na quinta-feira, apesar de a temperatura não ser tão baixa quanto em outras partes do mundo. A neblina também vem castigando a região e os aeroportos de Nova Délhi. Somente na quinta-feira, 35 voos foram afetados pela baixa visibilidade, que chegou a 50 metros.

De acordo com médicos ouvidos pelo "Bom Dia Brasil", em temperaturas assim não é preciso muito tempo de exposição para que o corpo entre em estado de alerta. Ford Erickson, do Hospital North Memorial, no estado de Minnesota, diz que a partir de 32º C negativos, a pele exposta congela em um minuto. A partir 59º C negativos, a pele congela em apenas 30 segundos.

O frio intenso pode causar hipotermia, que é a queda da temperatura corporal: distúrbios mentais; alteração de comportamento; congelamento que pode necrosar várias partes do corpo, principalmente das extremidades; como nariz, orelhas, pés e mãos.

Ao menos 19 pessoas morreram por conta do frio nos EUA. Entre as vítimas está uma mulher de 88 anos que morreu de hipotermia dentro de uma casa sem calefação em Chicago e um homem de 81 anos que sofria de Alzheimer e congelou ao se perder na rua usando um roupão.

Sessenta porcento da população americana estão em regiões que vão sofrer queda de 6,8ºC a 13,6ºC na temperatura média até a noite de domingo, informou o "Weather Channel".

Por isso, a recomendação nas regiões congelantes é não sair de casa. No Reino Unido, o frio causou mais interrupções nas estradas, cancelamento de trens e voos. Além disso, milhares de crianças estão sem escola há quase uma semana. ( Onda de frio adia três jogos do campeonato inglês )

Pegos de surpresa pelo cruel inverno, os britânicos enfrentam despreparo no dia-a-dia. Dezenas de grandes empresas estão tendo que economizar gás, já que a demanda doméstica chegou ao limite e há alerta para crise no setor.

A temperatura mais baixa do Reino Unido na manhã desta sexta-feira foi na Escócia. Manchester e partes de Brecon Beacons, em Gales, enfrentaram temperaturas de 16º C negativos.

A secretária de Meio Ambiente do Reino Unido, Hillary Benn, disse que as autoridades estavam fazendo de tudo para distribuir sal nas áreas onde o gelo tomou conta das ruas. No entanto, ela afirmou que apenas dois distribuidores estavam operando em sua capacidade.

No norte da Espanha, a expectativa é de mais neve nesta sexta-feira, enquanto o sul foi atingido por enchentes.

A França também se prepara para mais neve. Segundo o serviço de meteorologia francês, "a quantidade de neve esperada é significativa, excepcional até".

Partes da França - notadamente a região da Provença, no sudoeste - estão sem energia e o sistema de transportes sofre com atrasos, depois da neve que caiu nos últimos dias.

Na Áustria, as autoridades estão em alerta por conta da previsão de neve forte nos próximos dias em algumas regiões do país.
Postar um comentário
Copyright © 2010 Revista Virtual All rights reserved.
Wp Theme by RaphaelAlves. Blogger Template by Ph