13 de agosto de 2009

5 profissões inovadoras em tecnologia

Que tal ganhar a vida jogando pôquer, fazendo vídeos para o YouTube ou bancando o detetive no orkut?

A carreira em tecnologia oferece hoje caminhos inusitados – e promissores – para quem está disposto a sair do lugar comum e desbravar novos mercados.
Confira a seguir cinco profissões inovadoras na área de tecnologia para quem está cansado do feijão com arroz:

Jogador de pôquer online
Um computador regular e uma conexão estável. Os instrumentos de trabalho de um profissional de pôquer online são, em essência, as configurações mínimas para rodar os leves softwares do jogo. O Brasil vive um momento de popularização do esporte. Das programações da TV até as novas lojas e fóruns voltados ao assunto, o que mais chama a atenção é o investimento das empresas donas das maiores salas do mundo no Brasil. São eventos, ações de marketing e promoções exclusivas para jogadores nacionais. O negócio pode ser lucrativo para quem sabe jogar. Saiba mais sobre essa profissão.

Arquiteto da informação
Sobram vagas (e bons salários) para quem sabe como organizar as informações espalhadas pelos sites. É um cenário promissor: não faltam vagas nessa área, e os salários podem chegar a 12 mil reais. Quem tem perfil para agarrar uma delas? A formação importa pouco. Há espaço para profissionais de áreas tão diversas como biblioteconomia, administração, design e jornalismo. Em geral, eles aprenderam tudo por conta própria, mergulhando na internet e em experimentações práticas. Os arquitetos ficaram disputados porque os sites ficaram mais complexos e as empresas precisam de cada vez mais resultados na internet. Saiba mais sobre essa profissão.

Detetive das mídias sociais
Twitter, Facebook, YouTube, blogs e, claro, orkut. Em um país viciado em redes sociais, ter um trabalho que começa com uma boa olhada em todas elas pode parecer bastante promissor: só no Brasil, segundo dados do Comitê Gestor de Internet, somos cerca de 50 milhões de usuários dessas ferramentas. São espaços nos quais as pessoas buscam se agrupar por interesse e segmentam cada vez mais suas escolhas – o que, para as empresas, os torna ideais para atingir consumidores. E é aí que entra o cargo de Analista de Mídias Sociais. Em parceria com uma equipe de marketing, dentro de uma empresa ou agência, ele é a pessoa responsável por aproveitar ao máximo o potencial dessas redes. Saiba mais sobre essa profissão.

Videomaker digital
Aumenta a demanda pela produção de vídeos para a internet – área que exige novas habilidades e remunera bem quem está disposto a aprender. “Quem vai entrar nessa área tem que ter noções de flash, apesar de trabalhar com ferramentas de edição de vídeo. Tem que pensar de que forma esse vídeo vai ser usado na ponta final, entender de interatividade, arquitetura de informação”, diz Leo Strauss, diretor de planejamento da equipe de videoweb da TV1. Os salários de uma equipe voltada para produção de vídeo para web variam, em média, de 4 a 8 mil reais, dependendo da experiência e função de cada membro. Saiba mais sobre essa profissão.
Cartógrafo high tech
A popularização de ferramentas de geotecnologia, como GPS e mapas online, vem acelerando a demanda de profissionais nessa área. “Trabalhar com mapas hoje é um grande negócio. As aplicações associadas a bancos de dados são incontáveis”, diz o engenheiro cartógrafo Emerson Zanon Granemann, que dirige o site MundoGEO. O aquecimento do mercado contou com um empurrão de empresas como Google, Microsoft e Yahoo!, que atraíram o interesse dos internautas para seus serviços – a abriram novas oportunidades de emprego para os profissionais de tecnologia. Saiba mais sobre essa profissão.
Postar um comentário
Copyright © 2010 Revista Virtual All rights reserved.
Wp Theme by RaphaelAlves. Blogger Template by Ph