22 de maio de 2009

O “Elo Perdido”


Pela primeira vez na história dos doodles (pelo menos que eu me lembre), a Google não homenageia um evento passado, e sim uma notícia atual.

Não sei se todos viram, no dia 19 de Maio de 2009, foi apresentado ontem nos EUA um fóssil de 47 milhões de anos que muitos estão considerando como o “elo perdido” da evolução humana. Segundo os cientistas, o pré-primata, batizado de Darwinius Masillae vivia em uma região onde hoje é a Alemanha e na sua fase adulta não pesava mais de 1 Kg, mas possui características bem marcantes da raça humano, como por exemplo a presença de dedos e unhas no lugar das garras.

Os cientistas acreditam que Ida é a forma ancestral que está na transição entre os primatas superiores, onde se incluiu a espécie humana, e primatas inferiores, como são os lémures. A dúvida sobre quando e como surgiu o Homem pode ter encontrado a resposta em Ida.

Trata-se de um exemplar de cerca de um metro, do sexo feminino e, segundo o pesquisador Jenz Franzen, com características que o aproximam dos primeiros hominídeos. Ao contrário dos lémures, Ida tem unhas em vez de garras, o polegar opositor, o segundo dedo do pé não está em forma de garra e não tem dentes fundidos. Os olhos estão no mesmo plano, o que se traduz numa visão tridimensional, semelhante à nossa e mais afastada da visão dos lémures.

No fóssil, encontrado em excelente estado de conservação, é ainda possível distinguir contornos de pêlos e os restos da última refeição.

A descoberta de Ida remonta a 1983, quando um “caçador” de fósseis amador encontrou o fóssil em Messel Pit, na Alemanha. Depois de o guardar durante vários anos, decidiu vendê-lo. Nessa altura o esqueleto do fóssil foi separado em duas partes por coleccionadores, motivo suficiente para que a importância da descoberta não fosse imediatamente reconhecida.

Quando se apercebeu que estava perante um fóssil que poderia resolver uma das maiores incógnitas da humanidade, o paleontólogo Jorn Hurum, reuniu uma equipa de investigadores e, durante os últimos dois anos, realizou uma minuciosa e secreta análise forense ao fóssil.

O nome científico atribuído a Ida é Darwinius masillae, em honra ao 200º aniversário de Charles Darwin, que se comemorou a 12 de Fevereiro de 2009 .

Postar um comentário
Copyright © 2010 Revista Virtual All rights reserved.
Wp Theme by RaphaelAlves. Blogger Template by Ph